Categorias
Crônicas Quadrinhos

Vergonha dos quadrinhos que fez no passado

Uns dias atrás recebi um email de uma das minhas primeiras alunas do curso de quadrinhos HQ na Prática.

Ela falava sobre ter receio de indicar seu quadrinho para as pessoas porque havia melhorado a qualidade da arte desde que publicou os primeiros capítulos e não considerava “bom o bastante” o que tinha feito antes.

Ou seja, de certa forma ela sentia vergonha dos quadrinhos que fez no passado.

Eu entendo esse sentimento, apesar de nunca ter sentido isso exatamente. Porque sempre gostei de publicar tudo que eu tinha disponível desde que comecei.

Foi assim quando lancei a Fliptru em 2019. A primeira coisa que fiz foi lotar meu perfil com quadrinhos que eu produzi mais de uma década antes.

Primeira página do prólogo de Tailer (2004)

São bons quadrinhos? Deixo que você julgue isso lendo cada um deles e comentando o que acha.

De qualquer forma isso não faz muita diferença, porque sendo bons ou ruins, eles são parte concreta da minha história como quadrinista. São parte do que sou hoje.

Se alguém acha meus quadrinhos um bom entretenimento hoje é porque eu tive anos de produção de quadrinhos com a qualidade (duvidosa) do que eu podia fazer na época.

Materiais baratos e um computador ruim compartilhado com a (grande) família inteira era tudo que eu podia ter.

Uma arte inocente, amadora, com poucas bases para uma boa perspectiva e anatomia, porque nunca tive acesso a cursos de desenho até aquele momento.

Tudo isso poderia ter me impedido de publicar naquela época.

Não impediu.

Talvez porque fossem outros tempos e as redes sociais não existiam, portanto não causavam a “pressão por comparação” que causam hoje.

A gente vê prodígios com artes incríveis publicadas no Instagram ou Facebook e logo pensa: “nossa, não tô nem perto desse nível, melhor esconder minha arte até ficar boa”.

Tenho uma notícia pra você: você nunca vai se achar “bom o bastante”, porque sempre terá gente “melhor” (com aspas enormes aqui) para você se comparar nas redes sociais.

Página de Tailer Parte 14 (2020)

Isso é o que chamo de “pressão por comparação”. Você se pressiona porque se compara constantemente.

Essa pressão é algo que pode ser um incentivo à melhoria constante ou um peso na sua mente que pode acabar te fazendo desistir.

De qualquer forma o ponto desse texto é que tanto você quanto a pessoa ali que é “melhor” passaram por um processo de aprendizado e não devem ter vergonha disso.

Pelo contrário, é muito saudável que isso seja mostrado. Que as pessoas vejam a trajetória e não apenas o destino final, ou melhor, o momento atual, da nossa jornada.

Então exiba com orgulho os quadrinhos que fez no passado e mostre assim sua evolução para todo mundo.

Durante esse processo você vai gerar ainda mais empatia das pessoas que são sua base de leitores. Na verdade você estará criando sua base de leitores e de forma mais firme. Isso é ouro para manter o relacionamento e o crescimento dela.

Não tenha vergonha dos quadrinhos que fez no passado. Nunca.

Tenha orgulho da sua trajetória. Sempre.

Categorias
HQs para ler online Tailer

Tailer – Parte 14: Intervalo

Dando continuidade aos capítulos que formam novo volume da minha websérie em quadrinhos Tailer, a Parte 14 está disponível para ler online na Fliptru.

Esta série é um grande laboratório para mim e a cada capítulo eu experimento coisas diferentes tanto em relação à arte (desenho, arte-final, composição) como também em relação ao storytelling e desenvolvimento de personagens.

Eu gostaria muito de “andar mais rápido” com essa história, publicando mais capítulos em menos intervalo de tempo para ler online.

Tenho tanta coisa para evoluir na história que isso me deixa um pouco ansioso.

Só que o tempo que tenho para me dedicar a criar meus quadrinhos ainda é uma parcela muito pequena da minha semana.

Isso porque:

  • Preciso pagar minhas contas, então tenho um emprego de pelo menos 40 horas semanais;
  • Preciso continuar minha missão de ajudar mais gente a criar quadrinhos, então faço um vídeo por semana para meu canal do Youtube.
  • Preciso continuar dando espaço para que as pessoas possam publicar seus quadrinhos online, então gasto um bom tempo mantenho a plataforma Fliptru sempre com atualizações e correções de problemas.

Bom, acho que já falei demais por aqui. Por enquanto vou continuar lançando um capítulo por mês mesmo.

Leia Tailer – Parte 14 clicando aqui!

Categorias
HQs para ler online Tailer

Para ler online: capítulo 13 da webcomic Tailer

Já está disponível para ler online na plataforma Fliptru a Parte 13 da webcomic Tailer.

Leia Tailer Parte 13 – Delivery clicando aqui!

Você pode saber ou não, mas eu voltei a publicar capítulos da minha história em quadrinhos Tailer desde o final do ano passado.

Foram nove anos de hiato!

Graças aos pedidos da comunidade Fliptru, resolvi continuar esta série que é muito divertida de criar.

Tailer sempre foi uma forma de aprendizado para mim. Foi para deixar esta história melhor que eu resolvi começar a me aprofundar no estudo da criação de histórias em quadrinhos.

Graças a ela aprendi muito e agora é super gratificante continuar essa história.

Mas também é um grande desafio pegar uma história sem uma estrutura definida e sem personagens bem desenvolvidos e aplicar tudo que aprendi nos últimos anos de estudo.

Eu falo um pouco mais sobre Tailer no vídeo que postei hoje no meu canal do Youtube.

Links úteis para você

Quem sou eu publicar quadrinhos para ler online?

Meu nome é Marcus Beck e meus objetivos são:

  • Entreter através das minhas histórias;
  • ajudar quadrinistas independentes a divulgar seus trabalhos através da plataforma Fliptru;
  • e trazer o máximo possível de informação sobre como criar uma história em quadrinhos para o maior número de pessoas possível.

Publiquei minhas webcomics (quadrinhos online publicados na internet) por mais de dez anos e aprendi muitas lições sobre o que deve ou não ser feito para que as HQs sejam as melhores possíveis.

Quando eu comecei a criar meus quadrinhos eu gostaria muito que tivesse conteúdo sobre o assunto para que eu não tivesse que aprender tudo sozinho.

Por isso que criei meu canal do Youtube e também o meu blog, para ajudar quem está passando pela mesma situação que eu estive quando comecei.

Também sempre senti a necessidade de criar uma comunidade e uma plataforma onde quadrinistas nacionais pudessem publicar suas obras e entrar em contato com seus leitores.

Por isso em 2019 eu usei meus conhecimentos como desenvolvedor de software para criar e lançar a plataforma Fliptru.

Faço o possível para responder todas as perguntas, por isso fique a vontade para comentar com todas as suas duvidas. =)

Categorias
Tailer

A webcomic Tailer está de volta!

Nove anos depois de entrar em um hiato indefinido, a webcomic em série Tailer está de volta!

Quando eu anunciei que tinha decidido parar a série o texto terminava assim:

Por ora, meus objetivos são outros. Estou construindo minha vida e preciso retirar certas coisas que não estão me trazendo retorno e crescimento, como jogar ao mar as bagagens para o barco não afundar. Ficar apenas com o útil. Garanto que a coisa mais difícil de deixar para trás agora será desenhar quadrinhos.

Espero ter condições o mais breve possível de dar vida aos meus queridos personagens de Tailer de novo, mas por enquanto, fica meu obrigado aos leitores que acompanharam a série até agora.

19 de novembro de 2010

O pior é que até procurar esta postagem com o anúncio do hiato de Tailer eu tinha certeza de que a série tinha parado em 2011… agora descobri que minha memória me enganou.

Na verdade foi em 2010… nove anos atrás!

Bom, continuar a série era algo que eu queria muito, mas não achava que deveria. Principalmente porque não achava que a história era tão boa assim pra valer a pena o esforço.

Até que lancei a Fliptru em maio deste ano. Uma plataforma para que quadrinistas possam publicar suas obras de forma simples.

Para que a plataforma não começasse vazia, eu coloquei todos os quadrinhos que eu tinha disponível por lá.

Incluindo Tailer.

Para minha surpresa, muita gente comentou que queria mais capítulos da série.

Enquanto eu criava quadrinhos curtos, de no máximo 10 páginas, pra postar no Instagram, as pessoas continuavam pedindo mais Tailer.

Comecei a pensar em voltar a criar páginas… mas ainda não tinha tanta certeza de que valeria o esforço.

O momento em que decidi que Tailer deveria voltar

Uns meses atrás eu estava um pouco estressado com o volume de trabalho que manter o meu canal do Youtube em conjunto com meu emprego estava me causando.

Resolvi então criar algumas páginas de Tailer por diversão. Como um hobby para relaxar um pouco.

Foi tão divertido que continuei e continuei…

Quando vi já estava com quase dois capítulos prontos!

A questão é que eu tenho estudado e praticado tanto a criação de histórias em quadrinhos que passou a ser mais fácil criar as páginas do que era no passado.

Claro que desenhar tudo ainda é trabalhoso, mas é um trabalho gostoso e relaxante.

Além disso, depois de tantas histórias curtas, eu estava com vontade de ter mais espaço para desenvolver os personagens e o enredo de uma história mais longa.

Nada melhor do que colocar em prática com esses personagens que gosto tanto.

Não é a primeira vez que tento voltar com a série

Em 2015 eu queria fazer uma espécie de Graphic Novel com um resumo dos primeiros 12 capítulos de Tailer que havia produzido até 2010.

Meu objetivo era tentar um financiamento coletivo para conseguir publicar a obra de forma impressa.

Cheguei a fechar uma parceria com uma nova startup da época que editava e ajudava a criar financiamentos coletivos para projetos de livros.

Tailer seria o primeiro quadrinho no portfólio deles…

A proposta era ótima, até assinei contrato, mas acabou não indo para frente. A empresa não existe mais nos dias de hoje.

Depois de desenhar cerca de 50 páginas, mais uma vez eu fui tomado pela falta de tempo e pelo desanimo. Acabei desistindo do projeto.

Além da falta de tempo, eu ainda achava que a qualidade não estava tão boa assim.

Um problema comum com todos aqueles que criam arte… o excesso de autocrítica pode ser bem nocivo.

Aprendi muito nesses últimos tempos

Manter um canal do Youtube com conteúdo sobre como criar histórias em quadrinhos me ensinou muita coisa.

Não falo apenas de coisas relacionadas à técnica de narrativa visual, storytelling, etc.

Também me mostrou que mesmo não tendo um traço perfeito, uma história maravilhosa, eu devo continuar criando quadrinhos. Tanto para praticar como para estudar ainda mais sobre o assunto.

A prática é a melhor maneira de estudar e melhorar.

Publicando novos capítulos

É claro que os novos capítulos de Tailer serão publicados na plataforma Fliptru. Afinal, graças aos leitores de lá que a série está de volta!

Pretendo publicar um capítulo por mês, mantendo exclusivo para quem tem uma conta (gratuita) na Fliptru até que o próximo capítulo seja publicado.

Ou seja, a cada capítulo novo o anterior será liberado para o público de fora da plataforma.

Neste sábado eu publiquei a Parte 12 (capítulo 13) da história e já tive vários comentários muito positivos por lá.

Estou feliz com a recepção do pessoal da plataforma.

É isso… Tailer voltou!

Era isso que queria compartilhar aqui no blog.

Já fazem mais de 16 anos que mantenho esse blog e por aqui mantive contato com todos que liam Tailer no passado.

Por isso falar sobre isso através de uma postagem pra mim é especial.

Espero que você goste de acompanhar os novos capítulos desta minha webcomic e que se divirta tanto lendo como eu tenho me divertido produzindo a história.

Até a próxima!


Categorias
HQs para ler online Magnos Quadrinhos Tailer

Todos os meus quadrinhos para ler em um lugar só

Uma novidade para facilitar quem gosta de ler minhas HQs. A partir de agora coloquei todos os meus quadrinhos para ler em um lugar só, na Fliptru!

Fliptru é uma ferramenta de leitura de quadrinhos e lá você tem acesso a todos para leitura online.

Se você quer publicar sua HQ na plataforma também, tem um link no topo do site da plataforma onde você pode se inscrever para ser autor na Fliptru.

A ferramenta ainda está no começo, mas ela tem uma proposta de ajudar os autores independentes de webcomics a divulgar seu trabalho e ter um espaço simples para que possam publicar todas as suas HQs.

Clique aqui para ir para o meu perfil na Fliptru e veja todos os meus quadrinhos para leitura online.

Nessa ferramenta alguns dos quadrinhos estão marcados como “Privado”, mas basta que você crie uma conta gratuita lá para ter acesso.

No momento tenho todas as minhas HQs curtas e também as minhas séries em quadrinhos disponíveis para ler online.

  • Magnos (prólogo da série online)
  • Viajante (Hq curta)
  • Passageiro (Hq curta)
  • Cão de Rua (Hq curta)
  • Tailer (série com 12 capítulos)
  • Baguadao (Hq curta)

Se você gostar das HQs, não esquece de deixar um comentário por lá e também de divulgar nos botões de redes sociais que você encontra em todos os quadrinhos.

Clique para ler o prólogo da série “Magnos”
Clique para ler a HQ curta “Viajante”
Clique para ler a HQ curta “Passageiro”
Clique para ler a HQ curta “Cão de Rua”
Clique para ler a série em quadrinhos “Tailer”
Categorias
Quadrinhos Tailer

Publicando uma série antiga no Instagram

Duas semanas atrás eu publiquei uma série antiga no Instagram.

Foi um capítulo de uma webcomic em série que criei há mais de 15 anos atrás. Uma história que para mim estaria em um nível bem abaixo do que eu considero bom.

A ideia era utilizar a hashtag #tbt para mostrar uma HQ velha que eu achava que poderia incentivar quem está começando agora a produzir e publicar as suas, mesmo que para eles não estivesse tão bom.

Antes de continuar, gostaria de explicar o conceito dessa hashtag #tbt para quem ainda não conhece.

O objetivo é colocar fotos de bons momentos do passado. A sigla significa Throwback Thursday, que em uma tradução livre seria Quinta-feira da volta no tempo, ou algo assim.

Bem, eu chamo de Quinta da velharia.

Voltando à história, naquela quinta de duas semanas atrás eu publiquei o primeiro capítulo da minha antiga série Tailer.

Eu achei que mostrando um trabalho tão antigo e, no meu ponto de vista atual, tão ruim, mostraria que mesmo que você esteja criando uma HQ agora e acredite que ela não é tão boa, você não devia ter vergonha de publicar.

Só que o efeito foi interessante.

As pessoas gostaram daquele capítulo e pediram para eu postar os outros também…

Isso foi bem inesperado, porque coincidentemente, os capítulos de Tailer tem 10 páginas e cabem direitinho na quantidade de fotos que o Instagram deixa publicar de uma vez.

Infelizmente o formato das fotos acaba cortando um pouco as páginas, mas mesmo assim as pessoas conseguem ler e entender a história.

Na quinta-feira passada eu postei o capítulo piloto, que é ainda mais antigo, de 2004, e o pessoal comentou pedindo mais!

Então nessa quinta eu postei o segundo capítulo e os comentários continuam pedindo mais…

Mas e daí que você publicou uma série antiga no Instagram?

Bom, eu contei tudo isso aqui para trazer um conceito que vale como incentivo para quem está criando suas primeiras histórias em quadrinhos agora.

As vezes você acha que sua história está ruim, que seu desenho não é bom o bastante.

Mas se você expor sua HQ para o mundo, pode descobrir que muita gente vai gostar do que você está fazendo.

E isso é um incentivo enorme para que você continue a criar e melhorar suas histórias em quadrinhos!

Mostre seu trabalho para o mundo, mesmo que no começo poucas pessoas vão comentar e achar sua história boa, o fato de estar publicando vai te ajudar a evoluir como quadrinista.

O contato da obra com o público já é, por si só, um incentivo para que o artista busque melhorar tudo que faz.

Fica essa dica para o post de hoje.

E se quiser explorar a história de Tailer aqui nesse blog, visite a categoria Tailer e faça uma viagem no tempo com os meus posts antigos.

Até a próxima!


Categorias
Personagens Quadrinhos Storytelling

3 erros que cometi criando histórias em quadrinhos

Quero compartilhar com você os 3 erros que cometi criando histórias em quadrinhos. Não são os únicos, mas são alguns dos principais.

Uma das melhores maneiras de aprender é errando. Você tenta algo e descobre que aquilo não dá certo. Esse aprendizado vem com experiência, sendo ela sua ou de outra pessoa.

Esse texto vai servir para que você possa aprender com os meus erros. Então vamos lá.

1. Começar criando séries de histórias em quadrinhos

Nós somos fãs de séries famosas. Adoramos os personagens e suas muitas aventuras. Por isso queremos criar nossos próprios personagens e sua saga enorme com muitos personagens coadjuvantes.

Esse é um erro que cometi muitas vezes. Logo quando comecei a publicar quadrinhos online por volta de 1999. Criei uma série, mas acabei descontinuando.

Em seguida criei outra que chegou a ter mais capítulos. Publicando online, consegui um certo sucesso recebendo feedbacks positivos (na época apenas por email, não haviam redes sociais ainda) e um certo grupo de fãs. Acabei descontinuando a série mais uma vez.

Por fim, minha maior série começou a ser publicada online. Nessa cheguei longe, com mais de 120 páginas e 11 capítulos. Essa certamente foi a que tive mais sucesso e foi publicada em diversos sites, mas mesmo assim, acabou sendo descontinuada.

1.1. E por que isso acontece?

Primeiro porque uma série longa exige muita dedicação e um grande investimento de tempo. Então o comprometimento precisa ser muito maior.

É comum perdermos o interesse em uma história tão longa, querendo desenvolver novas ideias e colocar no papel nossos novos personagens.

Por isso, quem está começando a criar histórias em quadrinhos precisa começar com histórias curtas. Podem ser todas do mesmo universo ou personagens, mas precisam ser histórias com um começo, meio e fim. De preferência com poucas páginas.

Isso vai servir para ajudar a desenvolver a habilidade do autor com a narrativa gráfica dos quadrinhos. Vai melhorar sua habilidade de escrever histórias que fazem sentido, que começam e terminam.

Nenhum diretor de cinema iniciante vai estrear com um longa metragem.

Focar em histórias curtas será sempre um bom caminho para melhorar o trabalho do quadrinista, fazendo com que ele ganhe experiência e aprenda os atalhos para boas histórias.

Quando sentir que está pronto para se comprometer com uma série, comece com mini-séries em três capítulos. Somente depois passe para séries maiores.

Essa dica vai ajudá-lo a publicar mais histórias prontas que podem ser mais prazerosas de ler para quem ainda não conhece seu trabalho.

2. Não planejar a história antes de sair desenhando

Nada melhor do que pensar em uma história e sair desenhando as páginas para vê-la pronta o quanto antes.

O problema é que essa atitude pode causar arrependimento no futuro.

Várias vezes cometi esse erro, principalmente por começar meus primeiros quadrinhos diretamente como séries e sair criando a história da cabeça página a página, só tendo uma vaga ideia do que iria acontecer no futuro.

Sem saber para onde a história vai,  o autor pode se arrepender de ter desenhado o personagem de um jeito ou até de ter adicionado um acontecimento que não faz mais sentido para a história lá na segunda ou terceira página. Agora que está desenhando a décima página já gostaria que a história tivesse começado diferente.

Em um dos capítulos da minha última série, Tailer, acabei inserindo uma cena dentro de um navio cargueiro (imagem ao lado) porque achei interessante que a base dos inimigos fosse em alto-mar.

O problema é que essa cena aconteceu cedo demais na história. Ainda não era o melhor momento para apresentar alguma dica de quem eram os inimigos dos protagonistas.

Alguns capítulos passaram e a base não foi mais mencionada. Uma falha de planejamento da história.

Por isso pensar o roteiro, escrever e desenhar os rascunhos das páginas para marcar o layout são passos importantes antes de começar a desenhar a história.

3. Não pensar nos personagens como pessoas

Criar personagens interessantes é uma das partes legais de se criar histórias em quadrinhos.

Mas as vezes nos apegamos muito no que queremos que o personagem seja, num modelo de pessoa ideal. Só que pessoas não seguem modelos ideais.

O leitor precisa se identificar com os personagens que está lendo e fica muito difícil isso acontecer se ele é um ser humano ideal, cheio de virtudes e sem nenhuma falha de caráter.

Um personagem “perfeito” deixa a história chata. Para ser interessante é preciso que o personagem tenha falhas e cometa erros.

Os meus protagonistas costumavam ser exatamente como eu gostaria de ser na época. Só que analisando hoje de forma fria, vejo que eram personagens sem graça e superpoderosos demais.

Quem acabava salvando a história eram alguns personagens coadjuvantes, como o Professor Wu (imagem ao lado) da minha antiga série Tailer. Ele era um personagem divertido e cheio de falhas de caráter, mas que falava o que era preciso de vez em quando.

Conclusão

Como já mencionei, são alguns dos principais erros que cometi ao criar histórias em quadrinhos durante os primeiros anos de publicações independentes na internet.

Agora que você já conhece alguns desses erros, me diga se esse texto lhe ajudou de alguma forma nos comentários. Estou ansioso para saber.

Até a próxima!

Obs: O livro Como criar HQs está disponível para download. Clique aqui!

Categorias
Quadrinhos Tailer

Snapshots das páginas de quadrinhos de Tailer

Estou sempre publicando algumas fotos das páginas em produção da HQ Tailer. Sempre que estou desenhando tiro fotos de alguns quadros ou da página inteira para mostrar a produção aos meus seguidores nas redes sociais.

Vou aproveitar e colocar algumas destas imagens aqui no blog para vocês verem como está ficando essa nova versão de Tailer.

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on Sep 7, 2015 at 11:05am PDT

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on Sep 5, 2015 at 11:25am PDT

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on Aug 31, 2015 at 7:24am PDT

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on Aug 30, 2015 at 6:40pm PDT

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on Aug 21, 2015 at 3:30pm PDT

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on May 28, 2015 at 3:27pm PDT

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on May 12, 2015 at 7:43pm PDT

A photo posted by Marcus Beck (@beckenkamp) on May 11, 2015 at 6:29pm PDT

Categorias
Quadrinhos Tailer

Poster colorido de Tailer

Fiz essa ilustração apenas para mostrar os personagens coloridos. Só que resolvi aproveitá-la para criar esse poster para anunciar no meu Facebook que essa graphic novel estará disponível em breve!

Os passos para criar essa ilustração eu já postei no meu blog junto com algumas dicas para criar desenhos coloridos com aquarela. A seguir estão as imagens mostrando o passo-a-passo do desenho.

Categorias
Quadrinhos Tailer

Sobre os personagens de Tailer

De todos os personagens abordados durante a webcomic em série de Tailer, publicada de 2006 a 2011, tive que escolher apenas alguns para inserir na nova versão em graphic novel da história.

Os principais foram mantidos, claro, e alguns tiveram seus papéis alterados no enredo da história. Outros foram completamente apagados da história, mesma aparecendo bastante na versão anterior, como o namorado de Karine e o personagem Cinco (Agente Tailer x05).

Existe a possibilidade de que alguns sejam trazidos de volta caso exista um volume dois para essa graphic novel, mas por enquanto eles estão abolidos.

Isso acontece porque foi preciso reescrever a história para que encaixasse em um formato diferente, não existe muito espaço na história para contar tudo que foi contado na versão em série da HQ. A nova versão conta uma história fechada e tem como objetivo introduzir os personagens e mostrar o relacionamento que existe entre eles.

Na ilustração no topo deste post estão os que ficaram. Da esquerda para a direita: Karine, Jota, Marina, Doutor Wu, Arthur (Zero ou Agente Tailer x00), Quatro (Agente Tailer x04) e Três (Agente Tailer x03).