Categorias
Crônicas Tech

Vai saber, né?

Conversando com meus colegas no trabalho esses dias, percebi o quanto é comum pessoas da área do TI fazendo os famosos freelas. O trabalho freelance é algo presente na vida não só dos programadores, mas também dos designers, jornalistas, ilustradores, etc. Por que será? Posso responder isso em relação à programação pelo menos.

As empresas não pagam o suficiente? Talvez sim, principalmente aquelas que buscam estagiários com experiência (onde já se viu isso!?), mas também porque normalmente precisamos de algum a mais no final do mês ($$) e sempre tem alguém precisando de um sistema pra isso, um site pra aquilo.

Se todos pudéssemos trabalhar apenas as oito horas padrão (ou menos, né?) seria tranquilo, mas as vezes parece que elas são apenas a metade do expediente.

Atualmente tenho entrado neste mundo do freelance e posso dizer com todas as letras: quem iria recusar a oportunidade de ganhar aquele dinheiro que tava faltando? Ainda mais sendo algo que você está acostumado a fazer todos os dias. É quase como fazer horas extras, mas ganhar bem melhor por cada uma delas.

Dormir é para os fracos! =P

Temos que aproveitar enquanto somos jovens e temos energia de sobra pra correr atrás e fazer seu pé-de-meia, pois um dia eu sei que não vou precisar mais das horas extras… ou não. Vai saber, né?

Por Marcus Beck

Sou quadrinista, desenvolvedor de software, marido da Lu e pai da Laura.

Ver arquivo

Uma resposta em “Vai saber, né?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *