em Magnos, Quadrinhos

Esta é a primeira entrada no meu diário de criação de uma história em quadrinhos.

Poucos dias atrás eu disponibilizei para download o prólogo da minha nova HQ chamada Magnos. A recepção foi muito boa. Fiquei feliz com o feedback dos leitores!

Agora quero aproveitar que estou trabalhando no primeiro capítulo para compartilhar com você o processo que eu uso para criar minhas histórias em quadrinhos.

Vou começar falando um pouco do passado porque precisamos começar contextualizando todo o processo que já aconteceu.

A ideia é que a medida que for passando pelas fases desse processo de criação de uma história em quadrinhos eu publique postagens para mostrar o que está acontecendo.

Então vamos voltar para o ano passado e começar pela ideia que deu início a toda essa história.

O argumento (a ideia)

O primeiro passo de todo o processo aconteceu ano passado, quando tive as primeiras ideias para o mundo onde a história acontece. Especificamente um continente desse mundo.

Passei um tempo pesquisando e escrevendo sobre a história desse lugar. Pensei em como os primeiros habitantes de fora chegaram e a relação deles com os nativos do continente.

Cheguei a passar uma madrugada escrevendo evento por evento desde a chegada desse povo até certo ponto na história. Cada um dos governantes e como eles foram conhecidos em seu tempo.

Não cheguei a escrever tudo até o ponto onde a história principal vai mesmo acontecer, mas deu uma boa base para o passado desse continente.

Depois comecei a trabalhar na história mais recente do continente. Com isso foram surgindo as primeiras ideias do que seria a linha de história principal da HQ.

A ideia de um império que caiu há poucos anos atrás e a religião que dominou o lugar a partir disso… Não vou falar muito mais para não estragar a surpresa de ler a história.

Usei muita coisa da história da humanidade e até do Brasil para compor esse enredo. Só que depois de um tempo ele vai tomando seus próprios rumos e as referências vão ficando cada vez mais distantes.

Foi a partir de aí que passei para a próxima fase da criação de uma história em quadrinhos. Comecei a desenvolver os personagens.

Desenvolvendo os personagens

A linha de história principal envolve três personagens. Sendo cada um deles de um local diferente desse continente. Cada um com seu próprio passado e história pessoal.

A forma como eles vão se relacionar ao longo da história é importante, mas nesta fase o foco é no desenvolvimento de cada um deles de forma separada.

Comecei escrevendo motivação, personalidade, desenvolvimento e background de cada um deles.

Segue um exemplo do que escrevi:

Catarina
Motivação:
– Provar que o pai estava certo (?)
– Conhecimento.

Personalidade:
– Curiosa. Investigativa. Aventureira. Motivada. Gosta de fazer as coisas por conta própria, a não ser que precise de alguém para descobrir uma coisa nova. Autossuficiente.

– Se acha mais esperta e melhor do que os demais. Adora a adrenalina de estar em perigo.

– Acima de tudo, ela está em uma jornada para aprender sobre coisas novas. Está sempre atras de aventuras que possam lhe ensinar alguma coisa nova.

– Quer entender mais sobre as raças do continente e saber mais sobre a verdade por trás das histórias que cresceu ouvindo. Sempre busca fugir da zona de conforto.

Desenvolvimento:
– O grande desenvolvimento dela será aprender a confiar nos companheiros e admitir que não está sempre certa. Além de compreender que nem tudo que você deseja, você consegue.

Background:
– Deixou sua família muito cedo para viajar pelo continente. Seu pai era um historiador e foi condenado por questionar gente poderosa sobre como a história fora escrita. Ele foi levado quando ela tinha apenas 10 anos de idade. Sua mãe tinha mais dois filhos e ela era a filha do meio. Seu irmão mais velho trabalha para o governo que condenou seu pai e seu irmão mais novo segue o mesmo caminho para o futuro. Sentindo-se indignada pelo que ela considera frieza de sua família ela resolveu deixar sua casa e achar um jeito de mostrar para as pessoas que nem tudo que elas ouvem é verdade.

– Sua origem é da região sul, nascida nos arredores de Portofrio.

– Ganha a vida achando pequenos tesouros que encontra em suas pesquisas históricas. Normalmente através de algum mapa que encontra em bibliotecas que invade para pesquisar.

Isso não reflete a personagem como ela é hoje na história, mas sim um rascunho inicial do que eu imaginava que ela seria em agosto do ano passado.

Pensar em todos esses pontos é importante para começar, mas ainda é insuficiente para o quanto você precisa conhecer do seu personagem quando começar a escrever a história para valer.

Em seguida eu escrevi o que chamei de “ideia de plot” que na verdade seria como esses personagens estariam relacionados de alguma forma. Mas isso já foi o começo da próxima fase de criação de uma história em quadrinhos, a parte de roteiro da história em si.

Antes de continuar me empolgando com o plot da história, voltei para o desenvolvimento dos personagens.

Passei para o visual, o desenho dos personagens.

Desenho dos personagens

A aparência dos personagens é algo muito importante na criação de uma história em quadrinhos. Por isso merece uma atenção especial.

Busquei utilizar algumas referências sobre formas geométricas que podem ser usadas no visual de personagens para representar características de personalidade diferentes.

O quadrado, por exemplo, passa uma sensação de seriedade, rigidez, força, etc. O triângulo e o círculo refletem outras características e assim por diante.

Esses são os primeiros rascunhos do visual dos três personagens principais da história.

A post shared by Marcus Beck (@themarcusbeck) on

A post shared by Marcus Beck (@themarcusbeck) on

A post shared by Marcus Beck (@themarcusbeck) on

A post shared by Marcus Beck (@themarcusbeck) on

Claro que eles mudaram bastante desde setembro do ano passado. Mas temos que começar por alguma coisa.

Com o tempo você vai pensando em como o visual reflete de verdade esse personagem que você está “conhecendo” agora.

Aqui segue uma segunda versão, já melhor trabalhada, de cada um deles.

A post shared by Marcus Beck (@themarcusbeck) on

Eu acredito que devemos “pegar o jeito” dos personagens antes de começar a desenhar a história para valer.

Eu tive a sorte de ter criado os personagens pouco antes de um Inktober. Pra quem ainda não sabe o que é o Inktober tem um post explicando tudo aqui. Resumindo, é um desafio de desenho. Você deve fazer um desenho por dia durante todo o mês de outubro, ou seja, 31 desenhos em 31 dias.

Aproveitei o desafio para desenhar bastante cada um deles.

Você pode ver como esses desenhos ficaram neste post aqui. Mas aproveito para mostrar um dos meus preferidos aqui.

A post shared by Marcus Beck (@themarcusbeck) on

O diário de criação de uma história em quadrinhos continua…

Bem, esse post já ficou bem maior do que eu esperava.

Vou continuar escrevendo esse diário de criação de uma história em quadrinhos em breve. Ainda vou falar mais sobre personagens, o roteiro do primeiro volume da história e também sobre o roteiro da história piloto.

Se você curtiu essa ideia de acompanhar a criação de uma história em quadrinhos, me avise nos comentários.

Até a próxima!

Deixe seu comentário