em Tecnologia

Para entusiastas de martelo tudo é prego

Eu adoro ler sobre tecnologia e sua indústria pela internet a fora. É muito bom para descobrir algumas tendências e aprender sobre minha área de atuação.

Mas eu tenho notado um certo exagero em algumas publicações de nicho.

Alguns autores parecem querer reforçar que você precisa aprender essa ou aquela tecnologia porque é a única coisa que vai existir no futuro!

“Essa é a tecnologia que irá acabar com/substituir o que você usa hoje. Esteja pronto!”

Para ilustrar melhor o que quero dizer vou dar alguns exemplos.

Quando comecei a me informar sobre chatbots a primeira coisa que li nos textos do pessoal que já estava envolvido com isso é que os bots tomariam o lugar dos aplicativos mobile e até mesmo dos sites.

Afirmam isso com base em informações relevantes mesmo, como pesquisas que mostram que nos EUA as pessoas não estão mais baixando novos apps. Não é uma invenção, me parece apenas uma interpretação exagerada dessas informações.

Um tempo depois eu achei uma publicação que falava sobre arquitetura serverless. Lá o discurso era que em cinco anos ninguém mais estaria usando servidores.

Quando você faz parte de um nicho é muito fácil se deixar levar por opiniões exageradas em favor do que você está envolvido. Entretanto é preciso ser mais objetivo.

É claro que os chatbots podem assumir uma boa fatia de mercado dos aplicativos nativos (e vão, afinal eu sou um entusiasta ;D), mas não vão simplesmente acabar com eles do dia para a noite.

A mesma coisa para a arquitetura serverless… ninguém mais usando servidores em cinco anos? Um pouco exagerado, não acha?

Esses são apenas alguns exemplos, mas ainda podemos voltar um pouco no tempo e lembrar de algumas ondas que diziam que os aplicativos nativos seriam totalmente substituídos pelos híbridos e, já hoje em dia, substituídos pelos progressive webapps ou chatbots

Que tal voltar ainda mais, lá no começo da minha carreira nos grupos de Software Livre, onde achávamos que em breve os computadores com Windows seriam minoria perto dos usuários Linux… E quinze anos depois:

Market share de sistemas operacionais

Mesmo que a tecnologia seja muito rápida em sua evolução, dificilmente uma coisa mata outra tão rápido quanto as postagens que geram o hype afirmam.

Isso acontece porque cada negócio tem uma necessidade diferente, então cada tecnologia pode ser a melhor opção para cada tipo de necessidade. Uma não necessariamente mata outra. E não precisa matar!

Para que uma coisa seja boa ela não tem que destruir outra. Existe espaço, e até a necessidade, para tudo!

Eu escrevi o rascunho deste texto dentro de um Cabify, uso Uber com frequência e adivinha só: ainda existem muitos táxis por aí.

Se você gosta de algo e participa de um grupo sobre isso, como eu com chatbots por exemplo, seja um entusiasta sim! Discuta sobre, aposte nisso, mas mantenha os pés no chão. Entenda que o que você faz/gosta pode ser um ótimo martelo, mas nem tudo é prego.

Publicado originalmente no Medium.