Categorias
Crônicas Empreendedorismo

A dificuldade com a pontualidade

Ser pontual é uma característica que todos esperam de profissionais sérios. A pontualidade passa profissionalismo, mostra que a pessoa está levando a sério aquela relação profissional e, mais do que tudo, demonstra respeito. Respeito pelo próximo.

Nos dias de hoje grande parte dos profissionais tem um problema sério de falta de tempo. A frase que mais ouço é: “Gostaria que o dia tivesse 32 horas!”. Isso me lembra um texto escrito pela minha sócia no blog da nossa empresa sobre a pressa, vale a pena dar uma olhada.

Mas se todo mundo tem um problema com tempo, porque as pessoas insistem em não ser pontuais? Qual é a dificuldade em agendar um horário e chegar nele ao compromisso?

A maioria das pessoas vai usar a famosa desculpa do trânsito ruim, mas se ela fosse mesmo válida, em uma reunião pela internet não deveríamos ter atrasos, certo? Pois é. Tanto faz se o compromisso é presencial ou virtual, as pessoas se atrasam.

Mas por que isso acontece?

Em uma palestra do Murilo Gun ele contou que foi participar de um grupo de estudos do Googlee da NASA nos EUA e diversas pessoas do mundo inteiro estavam presentes. Logo de cara o coordenador perguntou quem achava que atrasar cinco minutos para um compromisso não era problema e praticamente todos os presentes levantaram a mão respondendo que não era um problema. Ele repetiu a pergunta para 10 minutos de atraso e menos pessoas levantaram suas mãos. Quando ele aumentou o tempo da pergunta para 15 minutos, apenas os argentinos e os brasileiros acharam que não haveria problema.

O que quero dizer com isso é que o atraso, ou o desrespeito pelo tempo do próximo, é uma questão cultural. Nos atrasamos porque somos acostumados, desde cedo, a não respeitar o tempo alheio. Quantas vezes, ainda no final da adolescência, eu me lembro de marcar com os amigos e pegar carona com aquele único que podia usar o carro do pai e quando chegávamos na casa de algum dos outros caronas era necessário esperar por mais de 15 minutos porque ele não estava pronto. Uma falta de respeito imensa com quem está fazendo o favor de lhe buscar em casa, não acha?

Quantas vezes já ouvimos a expressão “tempo é dinheiro”? Ela não deve ser lida de forma literal. Na minha opinião, é apenas uma maneira de demonstrar que o tempo é um bem valioso de cada pessoa e deve ser respeitado como tal.

É lógico que me atraso também em alguns momentos, não estou dizendo aqui que as pessoas devem ser perfeitas, mas quando o atraso passa a ser algo comum e já esperado das pessoas, é muito triste. “Vou marcar as 15h o compromisso que deveria ser das 16h porque sei que tal pessoa vai chegar só depois das 15h30.” Não é um absurdo isso ter que acontecer?

Existem dezenas de ferramentas hoje em dia para evitar o atraso. O app do Google nos mostra a melhor momento de sair para chegar em determinada hora em algum lugar, o Waze mostra o caminho com menos trânsito, o Google Maps mostra a rota do transporte público e o tempo que levará para percorrer tudo, o evento no celular pode ser marcado para avisar com antecedência sobre o compromisso para que você possa se programar e até um simples despertador pode resolver o problema de sair no horário.

Atraso é falta de organização e não deveria ser tomado como algo comum.

Obs: Comecei a escrever no horário marcado para uma reunião. Já terminei o texto e ela ainda não começou…

Por Marcus Beck

Sou quadrinista, desenvolvedor de software, marido da Lu e pai da Laura.

Ver arquivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *