em Personagens

Neste post vou responder uma pergunta que recebo o tempo todo por email e por mensagens: devo registrar meu personagem?

A maioria das pessoas que mandam essas mensagens me falam a mesma coisa.

“Tenho medo de que copiem meu personagem / minha história em quadrinhos”.

Mas será que registrar seu personagem no EDA (Escritório de Direitos Autorais) vai garantir que ele não seja copiado?

Eu fiz um vídeo explicando como é o processo de registro de obras visuais na Biblioteca Nacional e também discutindo algumas questões sobre o assunto.

Um pouco de história

Quando eu comecei a publicar quadrinhos na internet era ainda adolescente no final dos anos 90. Essa mesma pergunta que todos me fazem eu me fazia também naquela época.

“E se alguém copiar meu personagem? Copiar a minha ideia de história?”

Cheguei a pesquisar sobre o assunto na época e confesso que era muito mais difícil encontrar informações sobre isso.

Cheguei a pesquisar sobre o assunto na época e confesso que era muito mais difícil encontrar informações sobre isso.

Mesmo assim descobri como devia fazer, mas a situação financeira que eu vivia na época não me permitiu fazer essa loucura.

Mas por que seria uma loucura?

O momento da verdade sobre registro de personagens

Bem, era uma loucura na época porque ninguém nesses 20 anos que se passaram jamais tentou copiar ou se apropriar do personagem que criei.

Os direitos autorias vão ajudar você em processos judiciais contra usos indevidos da sua obra.

Ou seja, vão te ajudar se você processar alguém por uso indevido da sua criação.

Entrar com uma ação judicial contra alguém que usou indevidamente seu trabalho é algo que demanda tempo e dinheiro.

Isso quer dizer que se você não foi lesado financeiramente, ou seja, a pessoa que usou indevidamente seu trabalho ganhou dinheiro com ele, provavelmente não vai valer a pena entrar com um processo na justiça.

De forma resumida, o registro do seu personagem não necessariamente vai garantir que ele não seja copiado ou usado por terceiros.

E sobre a minha ideia de personagem ou hq?

Lembra o que eu acabei de relatar sobre os 20 anos sem ninguém ter se apropriado comercialmente da minha “grande ideia”?

É isso que vai acontecer com autores independentes que estão começando a publicar suas histórias agora.

Nós costumamos achar que nossas ideias são incríveis e únicas e que precisam ser protegidas com nossa vida, se preciso for.

Só que aprendi com os anos que uma ideia por si só não tem valor. A execução dela é que vale alguma coisa.

Isso não vale apenas para quadrinhos, mas para qualquer coisa.

Ter a ideia para uma história incrível não vai valer nada se você não for para sua mesa de trabalho e começar a executar.

Não é uma ideia que vale algo, é a criação que você faz a partir dela.

Então antes de se preocupar em registrar seu personagem, foque em criar sua história, desenvolver bem o seu personagem, praticar e estudar para melhorar seus desenhos e assim por diante.

Quando chegar o momento em que você tenha criado e executado algo que realmente tenha valor comercial, você pode começar a se preocupar com os direitos autorais de sua obra.

Até lá, publique sua HQ online sem medo.

Links úteis para você

Quem sou eu pra falar sobre registro de personagem?

Meu nome é Marcus Beck e sou quadrinista e criador do curso HQ na Prática. Meu objetivo é trazer o máximo possível de informação sobre como criar uma história em quadrinhos.

Publiquei minhas webcomics (quadrinhos online publicados na internet) por mais de dez anos e aprendi muitas lições sobre o que deve ou não ser feito para que as HQs sejam as melhores possíveis.

Quando eu comecei a criar meus quadrinhos eu gostaria muito que tivesse conteúdo sobre o assunto para que eu não tivesse que aprender tudo sozinho. É por isso que criei esse canal e também o meu blog, para ajudar quem está passando pela mesma situação que eu estive quando comecei.

Faço o possível para responder todas as perguntas, por isso fique a vontade para comentar com todas as suas duvidas. =)

Deixe seu comentário