em Narrativa Visual

Quando contamos qualquer história é importante criar o clima certo para o receptor. Sons ajudam muito nesse quesito. Por isso quero falar sobre a representação do som nas histórias em quadrinhos.

Existem as formas clássicas de fazer isso, como as famosas onomatopéias e também o formato dos balões de fala.

Já são assuntos com variações o suficiente para encher várias publicações como esta.

Por isso eu falei sobre onomatopéias no vídeo abaixo e também mostrei uma forma de usar a linguagem gráfica dos quadrinhos para preencher um ambiente com “som”.

Caso queira ver um assunto em específico, basta seguir o índice com os links diretos que está logo abaixo.

Neste vídeo mostro vários exemplos de como diferentes autores de diferentes gêneros (incluindo eu) usam onomatopéias e estilos gráficos para representar o som através da narrativa visual de quadrinhos.

Scott Pilgrim

02:49 Como podemos fazer com que uma música tome conta do ambiente em uma página de quadrinhos? Vamos ver com um exemplo de Scott Pilgrim de Bryan Lee O’malley.

Akira

07:53 No mangá vemos a presença das onomatopéias em muitas das pequenas ações que os personagens fazem. Vou mostrar um exemplo com as páginas de AKIRA de Katsuhiro Otomo.

Tungstênio

12:22 Vamos ver também que fazer com que a onomatopéia seja parte da composição do quadro é algo que valoriza a experiência do leitor. Usamos Tungstênio de Marcelo Quintanilha para mostar um pouco disso.

Reino do Amanhã

17:38 Também veremos um contraponto ao excesso de onomatopéias dos mangás em Reino do Amanhã, ilustrado por Alex Ross.

Magnos por Marcus Beck

20:21 No final, vou mostrar alguns exemplos dos meus trabalhos, para mostrar como eu costumo utilizar os efeitos sonoros em minhas histórias em quadrinhos.

Um Pedaço de Madeira e Aço

29:23 Antes de terminar, vamos ver que é possível contar uma história inteira sem absolutamente nenhum som com Um Pedaço de Madeira e Aço de Chabouté.

OBS: Balões de fala que representam tons de sons variados (sussuros, gritos, etc) não deu pra falar neste vídeo, vamos fazer uma parte dois se vocês comentarem aí embaixo pedindo 😉

Links úteis para você

Quem sou eu para falar de som nas histórias em quadrinhos?

Meu nome é Marcus Beck e meus objetivos são:

  • Entreter através das minhas histórias;
  • ajudar quadrinistas independentes a divulgar seus trabalhos através da plataforma Fliptru;
  • e trazer o máximo possível de informação sobre como criar uma história em quadrinhos para o maior número de pessoas possível.

Publiquei minhas webcomics (quadrinhos online publicados na internet) por mais de dez anos e aprendi muitas lições sobre o que deve ou não ser feito para que as HQs sejam as melhores possíveis.

Quando eu comecei a criar meus quadrinhos eu gostaria muito que tivesse conteúdo sobre o assunto para que eu não tivesse que aprender tudo sozinho.

Por isso que criei meu canal do Youtube e também o meu blog, para ajudar quem está passando pela mesma situação que eu estive quando comecei.

Também sempre senti a necessidade de criar uma comunidade e uma plataforma onde quadrinistas nacionais pudessem publicar suas obras e entrar em contato com seus leitores.

Por isso em 2019 eu usei meus conhecimentos como desenvolvedor de software para criar e lançar a plataforma Fliptru.

Faço o possível para responder todas as perguntas, por isso fique a vontade para comentar com todas as suas duvidas. =)

Deixe seu comentário