em Carreira

Carreira Programador – Quanto ganha um programador?

Essa é para quem está começando ou quer começar na área de desenvolvimento de software

Existe uma visão distorcida da realidade desse profissional de tecnologia da informação que escreve códigos e desenvolve sistemas.

Um Analista de Sistemas em início de carreira, por exemplo, tem salário médio de R$ 4,2 mil. Em três anos, sua média salarial pode chegar a R$ 7 mil. Com mais de dez anos de experiência, sua remuneração alcança R$ 17 mil. Isso sem falar nas possibilidades de especialização: um profissional de TI no Brasil com mestrado recebe o piso salarial médio de R$ 9,2 mil e um Diretor Técnico e de Operações do mercado de tecnologia pode ganhar até R$ 50 mil. Fonte: Terra em 22/12/2016

Início de carreira com mais de quatro mil reais e em apenas três anos já estar ganhando sete mil… essa não é a realidade da maioria dos profissionais de TI que conheço. Eu tenho mais de 10 anos de carreira e ainda não cheguei perto dos 17 mil… o que é uma pena!

Quem sabe essa matéria levou em conta apenas aqueles que trabalham em regime PJ e não os que tem carteira assinada… de qualquer forma, não me parece algo tão realista.

Pessoalmente me preocupa que essa visão seja disseminada e possa levar pessoas a buscar essa área apenas pela possibilidade de ganhar muito dinheiro, algo que não acontece com tanta frequência.

Vamos começar pelo começo: Não existe apenas “o programador”, assim como não há apenas “o médico” e “o advogado”.

Existem diversas áreas de programação como desenvolvimento mobile, backend, frontend, o faz-tudo (chamado de full stack por quem quer ser chique), etc.

Além das áreas, ainda existem as tecnologias específicas. As linguagens de programação, os sistemas operacionais, os frameworks, as metodologias de desenvolvimento… tudo isso conta para saber quanto vai faturar um desenvolvedor.

Outro ponto importante é em qual cidade você vai trabalhar. Existe uma probabilidade maior para o programador ganhar mais se morar em alguns polos de tecnologia do país, principalmente em São Paulo, graças à lei da oferta/demanda. Muitas empresas precisando de profissionais e nem tantos disponíveis. Isso não quer dizer que não existam programadores ganhando pouco nessas cidades…

Para finalizar, mas não se limitando a isso, o tipo de empresa em que o programador trabalha também influencia, e muito, no seu salário. Startups, fábricas de software, pequenas empresas de desenvolvimento, agências, grandes bancos, etc.

Que tal alguns “estudos de caso” para exemplificar. Começando pelo mais comum…

Um programador júnior trabalhando em uma startup, provavelmente um full-stack, ganha um salário mediano ou até abaixo do mercado.

E um de quem pode estar faturando legal.

Uma empresa em que o produto é um aplicativo, por exemplo, que tem uma VC investindo milhões. Sendo um sênior em uma equipe de desenvolvimento iOS… Sim, esse daí deve estar ganhando muito bem, para os padrões brasileiros.

Esses são alguns pontos que gosto de levantar toda vez que alguém me pergunta quanto ganha um desenvolvedor de software.

Obviamente estes são pontos de vista que obtive durante anos como andarilho nesse mercado e podem diferir de outros profissionais tão ou mais experientes.

Qual o seu ponto de vista? Deixe seu comentário.

Publicado originalmente no Medium.